MEMBROS DO SINSEPEAP AGRIDEM CAMILO E AMEAÇAM DEPREDAR SEDE DO GOVERNO

SOBRE ACONTECIMENTOS O GEA PUBLICOU COMUNICADO À SOCIEDADE AMAPAENSE, LEIA:

O Governo do Amapá vem a público lamentar e repudiar a atitude desequilibrada de parte do Sindicato dos Servidores Públicos em Educação (Sinsepeap), que hoje incitou alguns professores a violência, a ponto de agredirem fisicamente o governador Camilo Capiberibe.Esse ato, que será investigado pela Segurança Pública, pois o cerco a todas as saídas da Universidade do Estado do Amapá (Ueap), assumiu contornos de operação planejada e coordenada com a finalidade de cercear a liberdade de expressão e de movimentação, intimidaram, por extensão, todas as autoridades e populares que estavam participando do anúncio da construção de um Campus Tecnológico e do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração aos docentes e acadêmicos da instituição.Não satisfeitos com o ato, os membros do referido sindicato, em seguida e de forma premeditada, incentivaram seus associados a jogarem ovos na fachada do Palácio do Governo, sendo necessária a presença da Polícia Militar para evitar uma invasão, depredação ao patrimônio público e novas agressões físicas e morais.A atitude desses poucos manifestantes do Sinsepeap deixa claro que a questão é política partidária, já que a entidade parece recusar os direitos exigidos em anos anteriores, como a incorporação da regência de classe ao salário base. O mesmo ocorre quando tentam passar para a categoria dos professores estaduais e a sociedade em geral que não teriam melhorias este ano, ignorando os 7,13% que o GEA ofereceu a todas as categorias de funcionários do Estado.O ocorrido na Ueap e na frente do Palácio do Setentrião evidencia a dificuldade de manter mesas de negociação, que foram extremamente desgastantes em 2012, e se revelaram infrutíferas com os atuais representantes, que levavam informações deturpadas para as assembleias da categoria, transformando-as numa campanha para prejudicar a imagem do governador.Outrossim, o governador Camilo Capiberibe entende que as pessoas que participaram dessa manifestação não representam a grande maioria dos professores desse Estado que tem o compromisso com a educação e que jamais compactuariam com atos de vandalismo e agressão física e moral.O governador considera que o momento exige esforço de todos para a superação da exaltação de uns poucos, o que prejudica o equilíbrio necessário para o bom debate democrático. Reafirma o compromisso com a qualidade da educação para nossas crianças e adolescentes, e para todas as famílias amapaenses que desejam e se empenham na construção de um Estado democrático e de bem-estar para todos.

Anúncios

11 Respostas para “MEMBROS DO SINSEPEAP AGRIDEM CAMILO E AMEAÇAM DEPREDAR SEDE DO GOVERNO

  1. A corrupção política do Estado do Amapá o leva cada vez mais ao “esgoto” da imoralidade que se manifesta na injustiça social.Em macapá, os ricos exploram os podres, os políticos são cruéis, corruptos e humilham os professores e tirando o que é direito, como também desviam dinheiro público juntamente com empresários corruptos e os poderosos exploram os fracos.Portanto, os políticos corruptos e os ricos se preocupam apenas consigo mesmos e com seu ganho pessoal, mesmo com prejuizo e sofrimento dos pobres ( depois de alguns milhares de anos, nesse Estado muita coisa não mudou, não é verdade?). E nem vai mudar, porque parece ser conivente o eleitor se caala e aceitar suborno em troca favores políticos. Quem entre nós não fica indignado diante da injustiça? Mas Deus é Soberano, Ele tem nas mãos o destino de todo o mundo e do certo e do errado, do justo e injusto. Mais do que uma ideia ou norma, a justiça é uma preocupação divina, do Ministério Público e nossa também. Contudo, quem não levanta a bandeira da justiça, da perspectiva da Lei de Deus e da Lei Civil, a pessoa que auxilia e apoia a prática de um crime é tão culpado quanto aquele que o comete. Por isso, como educador e reverendo sou contra qualquer tipo de violência e injustiça. E mais, as casas de pedra dos políticos do Amapá, os móveis de marfim, os alimentos e bebidas de alta qualidade e as melhores loções para p corpo corrupto dos políticos, tudo parece ser dinheiro público. Visto que a natureza do escorpião, é ferrar. Então, antes de serem eleitos, aparecem como escorpiões bonzinhos, mas depois como escorpiões que ferra, ferra e ferra! Duas coisas se destacam na natureza do escorpião: a ausência de lealdade e a ausência de compaixão. Lamentavelmente, eles são assim.Cuidado, cuidado e muito cuidado! Esses precisam preceder com mais retidão e justiça, não subornando e sendo subornados. Buscai a retidão vós todos os magistrados da terra, que tendes posto por obra o seu juízo, buscai a justiça, buscai a lealdade, a mansidão, a humildade, a compaixão e a fraternidade; porventura sereis livres da condenação da Lei para que a corrupção não vos leve à perdição e em paz caminhareis. Raça de víboras, quem vos ensina a buscar a Lei e oprimir os pobres e fracos? Glória, porém, e honra e paz a todo aquele que pratica a justiça e o bem. Macapá, 07 de maio de 2013. Josué Vicente Irmão. Professor de Cultura Religiosa da Escola Estadual Maria Cavalcante de Azevedo Picanço.

    • Caro professor Vicente, só duas discordâncias:não abraço a tese – e acho que o senhor como professor de religião também não deveria fazê-lo, de que todos os políticos do Amapá são desonestos, são corruptos; no questão dos professores também discordo, não acho que eles estejam sendo explorados, o senhor mesmo leciona numa bela escola construida pelo governo passado; o professor no Amapá ganha bem, e quase que geralmente não está preparado para ser um professor de verdade; claro que é uma categoria importante, mas precisa de lideranças que não levem uma mioria a uma aventura que não respeita as crianças, a sociedade, a escola como instituição capaz de levar o Brasil ao primeiro mundo; basta lembrar que o ano passado a greve feita por essa minoria de professores do estado foi decretada ilegal pela Justiça do Amapá; lutar pelos interesses da categoria não é mentir, não é ofender a autoridade, privar as crianças do trabalho do professor. O senhor, com todo respeito, me prece preocupado em ficar ao lado dos pobres, citando as casas de pedras e os móveis de marfim dos políticos; se esses bens foram adquiridos com o suor do rosto e o trabalho honesto, isso não me interessa; se foram dquiridos com dinheira da população,cabe à Policia Federal investigá-los e denunciá-los à justiça, que por sua vez deveria indiciá-los, julgá-los dando amplo direito de defesa, e condená-los na forma da lei, se for o caso.Quanto ao resto, tudo bem, abraço.

      • Caro jornalista João Silva, quando digo os políticos, estou dizendo quase todos e não todos.Se o lobo aparece vestido de ovelha, quase não se percebe quem é verdadeiro. Mas eu acho que são farinha do mesmo saco ou da mesma panela, ou seja, só muda a tampa.Em relação ao professor ganha bem, e quase que geralmente não está preparado para ser um professor de verdade, discordo completemente. E se o professor não está preparado, e de quem é a culpa? Do sistema ou da corrupção? Por que uma Secretaria de Estado da Educação manda um professor de 1 – 4 série para ser pedagogo sem ser e para sala de aula sem ter a Licenciatura Plena? Não são favores políticos? Ou melhor, são as Faculdades ou as Universidades do Amapá culpadas? Sou muito bem formado e preparado para sala de aula, porque aprendi muito bem com os meus mestres e acredito que meus colegas de profissão aprenderam muito bem e são preparados para sala de aula.Se mandam professores para sala de aula sem nenhum preparo, não é culpa nossa e nem do sindicado, mas do sistem em troca de favores políticos. Um motorista de ônibus do Estado do Amapá, ganha muito mais que um
        professor. Como foi mencionado anteriormente, a política do Estado do Amapá, está mergulhando cada vez mais no “esgoto” da imoralidade e isso é muito grave. Sendo assim, não há portanto, ordem e progresso. Existe na verdade, muito desemprego, violência, prostituição, roubo e muita miséria nas periferias desse Estado tão bonito e com tanta gente bonita e inteligente.Qunto aos pobres, sou de familia pobre do Nordeste.Catava caranguejos nos mangues do Recife e vendia nos restaurantes do Recife.Final de semana vendia lanches nas prais do Recife e nas férias saia vendendo livros.Foi assim que paguei meus estudos e desde aos 8 anos de idade trabalho honestamente para sobreviver.No entanto, não quero nem pobreza e nem riqueza, mas o necessário para o meu mantimento e isto é um mandamento divino e sagrado.Tenho muita consideração pelos que sofrem, são explorados, humilhados e maltratados por aqueles que dizem ser honestos e que só aparecem nas eleições para enganar e comprar votos por uma botija de gás e uma cesta básica.Isto sim, é ilegal e imoral.Mas trabalhar e ser honesto, é moral e digno de honras.

      • Por que não ser honesto?
        Quando alguém entra na política, não dá pra continuar sendo o mesmo. Muitos, porém, se recusam a ser honestos, “Se eles são assim, temos que aceitá – los assim” – dizem.Pensando bem, onde fica os valores éticos morais? Ser políticos, não significa ser desonesto, mas ético e aquele que defende os direitos do povo do seu país ou Estado.Portanto, se quisermos construir uma sociedade mais justa e digna, se faz necessário trilhar o caminho da justiça e da lealdade. Existem dois caminhos diferentes: o caminho do bem, e o caminho do mal. O primeiro, é ser uma pessoa de caráter, isto é, não conivente, não subona e nem aceita subornos, não se conforma com as coisas erradas, e nem se junta aqueles que dizem está tudo bem. O outro, é ser mau caráter, e este já diz tudo. Quando fazemos uma escolha no dia das eleições, desse e daquele candidato, estamos escolhendo alguém que vai guardar e conservar a paz, a ordem e a prosperidade ( direitos constitucionais, educação de qualidade, saúde, emprego e habitação). Se nas eleições não houvesse cala boca e nem pau de cebo, não poderia ter: professores desvalorizados, ilegalidade do instrumento de reivindicação por meio da greve decidido pela maioria em Assembléis, escolas que parecem ser currais de touros, merenda que parecem ser comida de porcos, salas que parecem ser fogo do inferno, cidade cheia de buracos e lixos, desemprego, violência, prostituição, hospital que parece ser matadouro de jumentos, doenças, zero saúde e muita miséria. Contudo, como educadores não podemos ser coniventes com a imoralidade e a deslealdade de uma política suja e arbitrária. Corrupção e deslealdade? Não é exatamente isso que você quer, não é verdade? É preciso mudar esse comportamento estranho e se tornar alguém melhor, pois não teria desigualdade social, tanto miséria e sofrimento. Para o Estado evoluir, o político antes de ser político, tem que ser honesto e deixar de meter a mão no dinheior da população. Visentem as unidades escolares dos bairros em Macapá e as unidades escolares dos interiores do Estado do Amapá, bem como as unidades médicas em todo o Estado. Há, portanto, muita precariedade, estado lastimável e muito abandono. No entanto, no dia 07 de maio de 2013, eu disse que nos últimos três anos a política do Amapá é arbitrária. E, fiz a seguinte pergunta: quais as transformações sociais, políticas e educacionais ocorridas nesses últimos três anos? Então, disse que absolutamente nada. Em relação a política arbitrária, isto é verdade.Porém, em relação as transformações sociais, políticas e educacionais – não somente nos últimos três anos, mas nos últimos dez anos. Lamentavelmente, nada mudou e nem vai mudar. E mais, estamos passando situações caóticas nesse Estado, porque o sistema político brasileiro não é um sietema arbitrário, é um sistema democrático. Lembrem – se, não vivemos mais o cumunismo ou marxismo. Liminar dizendo que que greve é ilegal? Mas, que código e parágrafo da lei diz isso? Expressão de liberdade, é direito constitucional. Por isso, é direito nosso reivindicar por meio do instrumento de
        greve decidido pela maioria em Assembléia. Construir, reformar, fazer o que deve fazer como político, é fazer em troca de favores eleitorais? Se conformar apenas com duas ou três escolas construidas ou reformadas? Administração política de um Governador do Estado do Amapá, só se resume a isto? E, cadê o resto? Na verdade, o governante tem que se mostrar capaz de resistir aos inimigos e aos golpes da sorte, fazer uso dos instrumentos do diálo, e não os instrumentos da arbitrariedade. “Construindo diques para que o rio não inunde a planície, arrasando tudo o que encontra em seu caminho.” Porventura, este deveria ser bom, honesto, nem liberal e nem radical, cumpridor de suas promessas, conforme rezam os mandamentos da virtude cristã? Os ditames da imoralidade e deslealdade podem significar sua ruína. Assim, a qualidade exigida daquele que deseja se manter no poder é sobretudo a sabedoria de agir e fazer conforme o agir virtuoso. Devendo, contudo, apresentar possuir as qualidades valorizadas pelos governados. O jogo entre a aparência e a essência sobrepõe – se à distinção tradicional entre virtudes e vícios. Segundo Thomas Hobbes, “em estado de natureza, os indivíduos vivem isolados em luta permamente, vigorando a guerra de todos contra todos ou melhor, o homem lobo do homem.” Nesse Estado reina o medo e principalmente, a corrupção e arbitrariedade. São atitudes imorais e anticonstitucionais, pois sempre haverá alguém mais forte que vencerá o mais fraco.Sendo que, esse fraco poderá ser forte votando consciente no dia das eleições. Quer dizer, um eleitor que não se cala e nem se vende em troca de favores políticos.Sendo fraco, mas no dia das eleições se tornará mais forte. Enfim, o professor não é respeitado e nem valorizado; o piso salarial não pago e portantp, não existe mais regência de classe; professores de gabinetes e cabos eleitorais valorizados. A única lei é a força do mais forte, que pode tude quanto tenha força para burlar, desviar, humilhar, maltratar e dá calota nos profissionais da educação. Lutar por uma educação de qualidade é um caminho árduo e difícil, mas que pode ser percorrido por todos, se desejarem a justiça e a lealdade. Macapá, 10 de maio de 2013. Josué Vicente Irmão. Professor de Cultura Religiosa da Escola Estadual Maria Cavalcante de Azevedo Picanço.

      • Cala boca e pau – de- sebo?
        Será que isso é um absurdo? Pense no seguin
        te: quem é realmente bozinho e honesto? Até o presente momento, não vejo no poder ninguém bozinho e nem honesto. Só corrupção e crueldade. Na realidade, o povo é profundamente afetado por causa da corrupção e crueldade, política suja e tirana. Por merecimento, os eleitores conscientes e honestos em breve acabará com o tormento e sofrimento do povo desse Estado. Imagine como será bom viver com dignidade, isto é, casa, emprego, saúde e educação de qualidade, Que esperança maravilhosa! Como eu disse anteriormente, para o Estado evoluir, se faz necessário trilhar o caminho da justiça e da lealdade.. E mais, se nas eleições não houvesse cala- boca e nem pau-de-sebo, não haveria tanto sofrimento e miséria. De fato, a política do Estado do Amapá mergulha cada vez mais no “esgoto” da imoralidade. Por isso, não há portanto, ordem e progresso, paz e prosperidade. Para ilustrar: se um político pedisse perdão a Deus por ter roubado o dinheiro da educação ou saúde, e depois devolvesse pagando duas vezes mais, você talvez decidisse não entregar esse político às autoridades. Mas, por rezar os mantamentos da virtude cristã, ser honesto e entender que o arrependimento desse político foi da boca pra fora, não aceitaria que ele pagasse duas vezes, e entregaria
        esse ladrão às autoridades.Porém, não se arrependeu de verdade e nem devolveu o dinheiro. Chegando no inferno, seria estrangulado pelo diabo. Então, alguém poderia perguntar: já que não existe inferno e quando o tal político morrer não vai para o inferno mesmo, por que às autoridades metem esses ladrões na cadeia e os magistrados os põe em liberdade ou melhor,
        prendem e pois soltam? Fazem isso, por que recebem cala-boca e pau-de-sebo? A pergunta tem a ver com algo que aconteceu no passado e presente da história política desse Estado. Por esse motivo, o Amapá inteiro está só virando sebo de animal. Isso ajuda a explicar porque o político administra tão mal o dinheiro da população e o meio ambiente que vive. Além disso, são desonestos, egoístas, gananciosos, créis, falsos, mentirosos e irresposáveis. Na verdade, são raça de víboras e hipócritas. Prendem um pé de chinelo e soltam aquele que constrói casas de pedras, compra móveis de marfim, alimentos e bebidas de alta qualidade e as melhores loções com dinheiro público.Quem mete a mão no dinheiro da população, cadeia é pouco demais. Melhor seria, corredor da navalha.. É claro, no Brasil ainda não existe pena de morte.Por que não pensar nessa quetão? É lógico que isso não resolveria, mas causaria muito temor e antes de meter a mão no dinheiro público, matar e estuprar – pensaria vinte vezes mais. Porém, é justo pagar com a mesma moeda. Para isso, o Brasil teria que se organizar e estruturar todas as cadeias, Sendo assim, o Congresso aprovaria e a pena de morte passaria ser chamada “Corredor da Navalha.” Que maravilha! Por ele passaria primeiro, os políticos desonestos, depois os criminosos e os estupradores. Ah! Quem mais? Os magistrados desonestos? Seria isso um absurdo? Pensando bem, acho que ninguém queria ser político ou magistrado. Quer dizer, quero sim, mas com muita tristeza. Como ficaria o cala-boca e o pau-de-sebo? Passariam fome? Não? E meu cargo e minha galinha de ouro? Oh meu Deus! Agora só por meio de concurso e do suor do rosto, poderão comer. Finalmente, justiça, igualdade, paz, ordem e prosperidade para todos. Macapá, 12 de maio de 2013. Josué Vicente Irmão. Professor de Cultura Religiosa da Escola Estadual Maria Cavalcante de Azevedo PIcanço.

      • Corrupção e Impunidade?
        O Conselho Federal da OAB reúne-se no dia 20 para tomar um posição sobre a PEC 37, querendo estabelecer limites e disciplina ao MP nas questões de investigação? O MP não deve ter o poder de investigar? Por que somente a PC,PM e PF? Por que o MP, não deve ter o poder de investigar? Não é MP, PC, PM e PF juntos? Que absurdo! Estão comedo do quê? Da improbidade administrativa? Querem que tudo fique impune? Medo de ser investigado e ser preso? Por isso, o Brasil e nem o Estado do Amapá podem evoluir. O MP, desde a administração política passada e presente-vem fazendo um excelente trabalho de investigação nesse Estado. Portanto, no Governo passado muitos professores aprovados no concurso de 2005 não foram convocados e ficaram fora da lista. Por que? Na verdade, existia e provavelmente existe cala-boca e pau-de-sebo em troca de favores políticos. Existia uma quantidade enorme de professores sendo do contrato administrativo ocupando lugares dos aprovados em concurso. Sendo assim, levamos o caso ao MP. A partir desse momento, o MP entrou em ação, isto é, passando a investigar e encontrou muita irregularidade. Nessa época, existia mais de 2000 mil professores no contrato administrativo e milhares de professores aprovados no concurso de 2005 aguardando convocação e nada.Segundo a PF, existia até contrato de professores fantasmas e mais de 300 milhões de reais desviados da educação e de acordo com a Revista Época, mais de 1 bilhões desviado do Estado do Amapá. On de eles estão? Na cadeia? E o dinheiro, devolveram? Mas, o MP tomou medidas judiciais contra os gestores do Estado e mais de 600 professores convocados e empossados. E digo mais, eu estava nessa lista e fui um dos que fizera
        denúncia ao MP. Os corruptos do Brasil e desse Estado, têm medo do MP. Por esse motivo, querem que o MP não faça investigação. O MP, é um instituição que investiga e mantem o país ou Estado em paz, ordem e prosperidade. Sem o MP em ação, o Brasil ou Estado do Amapá, se tornará mais caótico, imoral e desleal. Enfim, se não fosse o MP hoje não seria professor efetivo de Secretaria de Estado da Educação do Amapá.., bem como muitos políticos e empresários desonestos não estaria respondendo processos por desviarem dinheiro público. Se um político mete a mão no dinheiro da população, constrói casas de pedras, compra móveis de marfim, alimentos e bebidas de alta qualidade e as melhores loções para o corpo da corrupção com dinheiro público, tem que ser investigado pelo MP, julgado pelos magistratos, condenado e preso. Para esses, cadeia é pouco demais. Melhor seria passar pelo corredor da navalha. Além disso, a corrupção e a deslealdade nesse Estado ainda continua com uma nova vestimenta. Estamos passando por situações caóticas nesse Estado, porque o sistema político brasileiro não é arbitrário, mas democrático. Lembrem-se, não vivemos mais o comunismo ou marxismo. Quando falamos de corrupção, não falamos só de corrupção política, mas de corrupção em quase todos os setores. Isso é muito ruim para a sociedade amapaense, porque não há portanto, transformações sociais, políticas e educacionais. Para o Estado evoluir, se faz necessário trilhar o caminho da justiça e da lealdade. Caso contrário, não há ordem e progresso. Espero que o MP, continue fazendo o que deve fazer, ou seja, investigar e mandar a polícia prender os corruptos
        ou melhor, os ladrões desse Estado.Pois, o MP investiga e a polícia prende. Estabelecer limites nas questões de investigação e dizer que o MP não deve ter o poder de investigar, é ser conivente com a injustiça e deslealdade e ter medo de ser investigado e preso,No Brasil e, principalmente no Amapá,
        só pé de galinha vai pra cadeia, mas o galinha de ouro parece que não vai.Quer dizer, vai e depois os magistrados põe em liberdade. Por que será? Por causa do cala-boca e pau-de-sebo? Será? Macapá, 13 de maio de 2013. Josué Vicente Irmão. Professor de Cultura Religiosa da Escola Estadual Maria Cavalcante de Azevedo Picanço.

  2. Justiça para o oprimido

    A corrupção política do Amapá o leva cada vez mais ao “esgoto” da imoralidade que se manifesta na injustiça social. Em Macapá, os ricos exploram os pobres, os políticos são cruéis, corruptos e humilham os professores e tirando o que é direito, como também desviam dinheiro público juntamente com empresários corruptos e os poderosos exploram os fracos. Portanto, os políticos e os ricos se preocupam apenas consigo mesmos e com seu desonesto ganho pessoal, mesmo com prejuizo e sofrimento dos pobres professores ( depois de alguns milhares de anos, nesse Estado muita coisa não mudou, não é verdade?). E nem vai mudar, porque parece ser conivente o eleitor que se cala e aceita suborno em troca de favores políticos. Quem não fica indignado diante da injustiça? Mas Deus é Soberano, Ele tem nas mãos o destino de todo o mundo e sabe do certo e errado, do justo e injusto. Mais do que uma ideia ou norma, a justiça é uma preocupação divina, do Ministério Público e nossa também. Contudo, quem não levanta a bandeira da justiça, da perspectiva da Lei de Deus e da Lei Civil, a pessoa que auxilia e apoia a pratica de um crime é tão culpado quanto aquela que o comete. Por isso, como educador e reverendo sou contra qualquer tipo de violência e injustiça.Mas a greve é um instrumento de reivindicação e constitucional. Nesse sentido, não existe ilegalidade. Ninguém tem o direito de cortar salário e tirar regência de classe dos profissicionais da educação. E mais, as casas de pedra dos políticos do Amapá, os móveis de marfim, os alimentos e bebidas de alta qualidade e as melhores loções para o corpo corrupto dos políticos, tudo parece ser dinheiro público. Visto que a natureza do escorpião, é ferrar. Então, antes de serem eleitos, aparecem como escorpiões bonzinhos, mas depois como escorpiões que ferra, ferra e ferra! Duas coisas se destacam na natureza do escorpião: a ausência de lealdade e a ausência de compaixão. Lamentavelmente, eles são assim. Cuidado, cuidado e muito cuidado! Esses precisam preceder com mais retidão e justiça, não subornando e nem sendo subornados. Buscai a retidão, vós todos os magistrados da terra, que tendes posto por obra o seu juizo, buscai a justiça, buscai a lealdade, a mansidão, a humildade, a compaixão e a fraternidade; porventura sereis livres da condenação da Lei para que a corrupção não vos leve à perdição e em paz caminhareis. Raça de víboras, quem vos ensina a burlar a Lei e oprimir os pobres e fracos? Glória, porém, e honra e paz a todo aquele que pratica a justiça e o bem. Macapá, 07 de maio de 2013. Josué Vicente Irmão. Teólogo e Especialista em Ensino de História das Artes e das Religiões. Professor de Cultura Religiosa da Escola Estadual Maria Cavalcante de Azevedo Picanço.

  3. Nos últimos três anos, a política do Amapá passa ser em parte, uma política arbitrária. Ou seja, antidemocrático e anticonstitucional. Por isso, segue em crise.Contudo, é tormentosa e preocupante por parte da população que depende e precisa ter escolas climatizadas e merenda de qualidade, bem como professores valorizados e preparados para os seus filhos e não professores de 1-4 série sendo pedagogos e em sala sem licenciatura em troca de favores políticos. Às vezes, a merenda da escola parece ser comida de porcos e a sala fogo do inferno. Portanto, temos uma política que não se pode falar e nem fazer. Lembrem-se, não vivemos mais o comunismo ou marxismo. Como foi mencionado anteriormente, como educador sou contra qualquer tipo de violência e injustiça.Mas, parece ter no poder um cruel e cheio de maldades, dizendo ser apenas vítima do sistema. Infelizmente, são quase todos vítimas de um sistema imoral e desleal. Não sabemos se, até que ponto, o motivo de perseguição aquele que democraticamente reivindica seus direitos por meio do instrumento de greve decidido pela maioria em Assembléia. Trabalhos duros e árduos, liminar da justiça dizendo que a greve é ilegal. afligiram, mais do que em qualquer outro tempo. Quais foram as transformações sociais, políticas e educacionais ocorridas nesses últimos três anos de luta política nesse estado? Absolutamente nada. Melhor é ser servo, que nobre ou político. Os políticos são pessoas naturalmente radiantes, isentas, às quais, de direito, não cabe qualquer tipo de servidão e de tributos. Os políticos foram escolhidos guardar e conservar o país ou estado em paz, em ordem e prosperidade ( educação de qualidade, saúde, emprego e habitação ). Devem eles burlar a Lei, colocar no bolso o que não lhes pertance e sobressair-se em sua vida particular? Mas parecem que em seus costumes dando a todos o exemplo de honestidade. Macapá, 08 de maio de 2013. Josué Vicente Irmão. Professor de Cultura Religiosa da Escola Estadual Maria Cavalcante de Azevedo Picanço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s