UEAP COMEMORA A APROVAÇÃO DO PCCR NA ALAP

Projeto de Plano de Cargos, Carreiras da UEAP é aprovado na Assembleia Legislativa
Sob aplausos de acadêmicos e professores da Universidade Estadual do Amapá (UEAP), a Assembleia Legislativa, aprovou por unanimidade projeto de Lei 0030/13 de autoria do Poder Executivo, que dispõe sobre o Plano de Carreira, Cargos e Remuneração (PCCR) dos professores da UEAP. O projeto recebeu o parecer favorável da comissão de Constituição, Justiça e Redação (CJR), presidida pelo deputado Charles Marques e da Comissão de Administração Pública (CAP), presidida pelo deputado Keka Cantuária.O professor Luciano Araújo, representando o corpo discente da universidade, usou a tribuna da Casa e leu uma mensagem da professora Suelen Felix Pereira, agradecendo os acadêmicos que permaneceram mobilizados na luta pela regulamentação da profissão. “Essa vitória gera imensuráveis benefícios para toda comunidade da UEAP.Suelen lembrou que a aprovação do PCCR foi apenas a primeira vitória e que muitas outras precisam ser alcançadas para que a Universidade se torne uma instituição de excelência em ensino, pesquisa e extensão, não apenas em âmbito estadual, mas também nacional e internacional, comentou a professora, informando que no dia 24 de maio haverá audiência pública para discutir o orçamento da UEAP.A construção do PCCR teve início em março de 2011, a partir de uma solicitação da reitoria da UEAP, para que os professores do recém-empossado do quadro efetivo constituíssem uma comissão de elaboração da minuta do plano, sobre a presidência do professor Luciano Araújo, atual presidente do Sindicato dos Docentes da UEAP.

Desde então, o processo de construção do PCCR envolveu os setores técnico administrativo e docente da UEAP, sob o acompanhamento da reitora Maria Lúcia Teixeira Borges, pró-reitores, da Procuradoria Jurídica da universidade e do titular da pasta da Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia, Antônio Cláudio Carvalho, representante da Administração Direta e intermediador junto ao governo.

DO EDITOR
O que não consta na mensagem da reitora lida pelo representante do corpo discente da UEAP por ocasião da aprovação do PCCR na ALAP, é que não faltou ao governador Camilo a sensibilidade necessária para que esse avanço  fosse consolidado na forma da lei em favor de uma instituição importante para o povo do Amapá, em especial para sua juventude, negligenciado por tanto tempo.
A UEAP era necessária já nos dois períodos de governo de Waldez Goés, e até antes disso, mas foi criada na marra, sem orçamento, sem quadro de pessoal, sem os pilares de sustentação que requer uma instituição dedicada ao ensino, pesquisa e extensão, portanto fundamental para a formação de mão de obra qualificada para o desenvolvimento, para a solução dos problemas sociais, enfim para o conhecimento, sem o que não se vai a lugar nenhum.
Como cidadão nascido nesta terra de São José e de todos os santos, como jornalista, não posso negar também que esse avanço não seria possível sem o engajamento, a mobilização dos professores, dos técnicos da instituição e de toda a comunidade da UEAP, além do interesse demonstrado pelos deputados estaduais, que cumpriram sua obrigação nesse esforço pela valorização do ensino público no Estado do Amapá.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s