IMPRESSÕES

O  “OVO” DE CLÉCIO

Rupsilva

O erro de certos políticos é que diante do efêmero sucesso não conseguem separar seus interlocutores. Imaginam, na sua euforia, que podem nos colocar no mesmo balaio da ignorância que estão seus anônimos e desinformados eleitores das baixadas.

Impregnados por essa ideia estapafúrdia, ficam a desfilar sua empáfia e seu rosário de incoerências sem dó e piedade, como diria minha mãe, uma sábia. Numa cidade de muro baixo, como a nossa Macapá [ainda bem], impossível vender gato por lebre por muito tempo sem ser descoberto algum dia.

Clécio Vieira do PSOL é um exemplo. Um mau exemplo desse tipo de político. Nem bem os números do TRE sentaram, lá estava ele colocando um ovo daqueles, como se fala na gíria.

No papel do “novo” queridinho da harmonia e da  Direita amapaense , a soberba lhe subiu à cabeça ao discursar depois da seu meio  triunfo, o direito de disputar  com Roberto Góes [PDT], o segundo turno para a Prefeitura de Macapá, demonstrando hostilidade ao PSB, a quem dispensou de uma possível aliança sequer oferecida.

O mais grave de tudo, no entanto, é que absolvia de culpa seus novos amigos da harmonia pelas atrocidades cometidas contra o Amapá; numa linguagem canhestra, imbecil, idiotizada, desfocada da realidade, transferia para o atual governo o ônus pelo estado falimentar que seus amigos novos deixaram o Estado. Que o atual governo, como ele sabe, faz um grande esforço para recuperar. 

Sua deselegância foi um escárnio. Chula, para ser sincero. E só teve repercussão pelo ataque grosseiro ao governador Camilo Capiberibe que fizera um discurso claro como água de bica, feito um estadista, reconhecendo elegantemente a derrota de sua candidata Cristina Almeida, vitima do excesso de democracia do governo que deveria merecer elogios do candidato.

A política de alianças a um eventual segundo turno é uma prática comum nas democracias modernas. Nesse item perdeu feio para Roberto Góes que tratou de afagar seus possíveis aliados , caso do Deputado Davi Alcolumbre, dono de 10 % do eleitoral, segundo as urnas.

Ao responder a pergunta do repórter sobre a política de alianças para o segundo turno o candidato do PSOL escorregou feio e falou besteira, ao negar qualquer chance de se unir ao PSB. Deveria saber Clécio Luiz, professor que reclama ser, como disse, que acabara de renegar um instituto da democracia, uma prática comum até na Conchichina, por que não aqui?

Acontece que Clécio juntou seu destino ao de Randolfe e não mais administra suas vontades. São instrumentos de Sarney que no papel de representante mor da Direita brasileira, trabalhou de sol a sol para implodir a esquerda do Amapá e conseguiu.

Antes que me escape quero dizer que poderia regozijar-me com os fatos pois eles confirmam a minha tese da capitulação do PSOL, que teria dispensado seus princípios, ideologia ,estatuto e prática,  com o fim de quebrar as esquerdas, velho sonho do coronel Sarney.

Como explicar a aliança do partido em Santana com Rosemiro Rocha, recentissimamente condenado a devolver recursos públicos, nome ligado a Sarney , cujo filho acabou se elegendo Prefeito com o apoio dos psolistas? O Rei está nu? Claro que está.

Não tem mais como esconder essas relações espúrias jamais pensadas no PSOL. Essas coisas são difíceis de caber sob tapetes, de abafar como fazem seus áulicos defensores da mídia paga. Que vai dizer em casa quando por lá instado?

Pretende com isso o “velho” coronel nordestino operar a política de banimento dos Capiberibe da vida pública do Estado, eles que têm uma folha riquíssima de bons serviços prestados a esta terra, dentre eles o de impedir que o maranhense transformasse nosso Amapá a imagem e semelhança do seu sofrido Maranhão de escolas cobertas com folhas de babaçu.

Ao quedar-se a tese sarneysista de imolação de um combatente obsessivo pelas liberdades publicas, o PSOL abandonou a trincheira do “XÔ SARNEY” e abraçou a novíssima “Fica Sarney”,da harmonia e daqueles que se lixam para o destino do Estado e combatem um Amapá desenvolvimentista que não querem  ver, saber e  muito menos ouvir falar.

Assim o PSOL homenageia um político – apesar do cargo,  influência e poder, inútil para o Amapá que por três mandatos eletivos como Senador nada fez pelo Estado. Muito pelo contrário, deixou suas digitais nos casos da CEA, BR 156, Aeroporto Internacional e outras coisitas mais.

Por isso Clécio foi tão taxativo em negar qualquer possibilidade de aliança com os socialistas do PSB por não necessitar dela para chegar ao poder municipal, segundo pensa. Ele e sua claque.

Que tinham obrigação de saber que na verdade não é bem assim.  Verdade mesmo é que essa decisão não pertence ao Clecio nem ao seu colega Randolfe, mas a Sarney que o transformou num “novo” Gilvan, espécie de “ pau mandado ” do maranhense.

A razão é simples e meridiana. Ambos foram eleitos com as benções de Sarney e seu grupo da harmonia,  por isso estão proibidos pelo “velho” coronel nordestino  de buscar apoio no PSB, precisamente pelo fato dessa “separação” , conquistada afinal, ser o trunfo que sempre buscou  para derrotar Capiberibe.

O PSOL sabe o que dizem as pesquisas. Por isso a arrogância de Clécio. Dizem que 80% do eleitorado de Cristina Almeida [leia-se PSB] , num eventual segundo turno entre Roberto e Clécio apoiaria o candidato do PSOL.

Reação natural de identidade ideológica do eleitor, digo eu,  criada pelo PSB que o PSOL insiste negar. Com a qual romperia, sem pudor, se a situação fosse inversa: Cristina versus Roberto. Não há dúvida sobre isso.

Essa situação mantida daria uma vantagem confortável aos psolistas . Daí que ele nega o PSB como parceiro pela garantia que tem de que esses votos, na sua grande maioria, migrarão naturalmente, sem interferência de ninguém.

O exercício da razão exige mais que a soberba, a empáfia, o “salto alto”. Não é verdade que o PSB não tenha controle dos votos de seus militantes,tanto que têm dado provas inequívocas de unidade todas as vezes que convoca a militância para reagir uma agressão.

Basta que suas lideranças decidam convencer a metade desses 80% a não votar em Clécio para a vaca ir por brejo. A fala de Clécio revela um político menos preparado e inteligente do que tenta parecer.

Sem considerar ainda as informações que detém dessas figuras de ponta do partido que, se colocadas para a opinião pública, implodiriam a candidatura psolista.

Além do que sua postura é ruim diante das dificuldades de administrar uma prefeitura, se vir a ganhar o returno, cujo rombo  poderá ser igual ou maior que o encontrado por Camilo Capiberibe, deixado por seu sucessor.

Sem base no plano nacional e sem o apoio do governo estadual, que nega estupidamente, deve creditar todas as suas fichas nas mãos do “velho” Sarney, seu novíssimo guru que prova que essa coisa de velho e novo é uma questão de ponto de vista.

Tem “velhos” e “velhos”, “novos” e “novos”. Para essa gente há diferença sim, uns parecem mais velhos e feios que outros, como na parábola das uvas. Como o caso de amor do PSOL com Sarney , novíssimo por sinal.

POUCAS & BOAS

TUDO NORMAL. Peço vênia para discordar do Des. Raimundo Vales, presidente do TRE sobre a dita normalidade do pleito. Ainda aconteceram fatos escabrosos, segundo a mídia, que derruba a tese da “normalidade” da disputa que não pode ser ignorada e considerada normal. Muitos eleitos abusaram do chamado “poder econômico”  tanto que, segundo a imprensa, toneladas de alimentos transformados em “cestas básicas” foram presas, sem contar outras tantas que devem ter passado  pelo crivo da justiça, segundo as mesmas  denuncias.

TUDO NORMAL II. Uma simples visada na lista de vereadores eleitos para entender que tudo funcionou como dantes. Sem o que, seguramente, Aline das quantas jamais chegaria na posição que chegou. Falar nisso, qual é mesmo o trabalho social e a participação política dessa candidata? Ninguém sabe óbvio, por que não tem. Tal pai, tal filho, como se diz. É a renovação da malandragem  para outros.

E vai ficar por aí. Ninguém vai preso, se for logo será solto, ninguém perde o mandato e a humanidade seguirá sua caminhada adiante.

O velho se vestirá de “novo” numa sacada do marqueteiro, novas eleições virão, o povo mais analfabeto ainda votará em seus algozes e a vida segue. Tudo ajustado aos interesses dos que resistem a mudanças e ao figurino do ..”tudo normal”, um chavão nacional.

TUDO NORMAL III. Todos nós reclamamos por uma fiscalização rigorosa do pleito, com toda a isenção possível, abrangendo todos os partidos e coligações. E não foi bem assim. Residências de pessoas íntegras tiveram sua intimidade devassada por falsas denuncias como a do vereador Washington Picanço, que ouviu o protesto de uma  mãe indignada, com mais de 70 anos,  apontando a justiça aonde deveria procurar ilícitos eleitorais como as residências de Edinho, Favacho, Góes, Gurgel, por coincidência eleitos com folga no começo da fila.

PRINCIPIOS. Essa é uma questão que aflige aqueles que têm princípios e crenças democráticas sólidas em qualquer eleição. O governo, em nome desses princípios, foi irrepreensível. Entre mantê-los e eleger sua candidata, com recursos da máquina pública, arriscou perder, como perdeu, um pleito que poderia ter vencido com folga. Mas não faltarão babacas na mídia que dirão ao contrário, que ganharam de tudo, inclusive da máquina pública. Esperem para ouvir essa baboseira.

MULHER TRAIDA. Foi o que aconteceu com a candidata Marcivania [PT] em Santana, queridinha de Randofe, a quem “ama” de verdade. Desdenhou do governo do Estado e acabou em Irajá. Não sei o que fará do seu amor desbravado pelo PSOL que apoiou incoerentemente Robson Rocha, filho de Rosemiro, condenado pelo TCU a devolver recursos públicos desviados de obras federais. Mas que para compensar é compadre de Sarney, seu  padrinho de casamento e guia político. Por arrogância e má avaliação dos fatos, Marcivania perdeu o bonde da historia.

PT O EM BAIXA. Incrível, mas o PT desce a ladeira às vésperas de disputar a reeleição de Dilma Housseff. Aqui sobrevive na UTI um caricato PT cujas lideranças não conseguem sequer trocar duas palavras. Tudo por conta de Sarney que tomou conta da alma de Dava Figueiredo, cujo coração cheio de mágoa, não a deixa raciocinar.

VITORIA DO PRECONCEITO. Aquela investida de um  twiteiro,  de cunho racista contra a candidata CRISTINA ALMEIDA [PSB\PT] é a face cruel de uma sociedade vitimada pelo ensino de má qualidade que recebe de nossos professores, o que permeia todos os níveis da educação, inclusive o universitário.

A educação do Amapá já não é a mesma. Desde que nossos eméritos mestres se foram, ficou um vácuo no ensino dos jovens amapaenses, cuja formação ético e  moral deixou de ter a devida importância, o que transformou nossos jovens em analfabetos funcionais, incapazes de um juízo crítico sobre os fatos ao seu redor. Mas uma vez não acontecerá nada.

MINHA PATRIA AMADA.O Amapá é minha pátria que certamente não é de Sarney, Randolfe, Clécio, Gilvan e inúmeros outros que para cá vieram para sugar nossos valores e nossa grana. Não fosse minha pátria amada diria que somos o pinico do Brasil, lugar para onde se mudam a escória do país.

ELEIÇÕES LIMPAS JÁ. Fico muito preocupado quando alguém comenta que fulano [político] de tal é uma unanimidade na justiça do Estado. Aprendi na escola que justiça não tem lado e que juiz não é torcedor de futebol.

Falo isso por que, apesar da tão decantada “normalidade do pleito”,  muitas decisões e ações tomadas tinham, uns mais outros menos,  as tintas e cores dos candidatos. Que não certamente o amarelo de Cristina Almeida, vitimada por ações orquestradas visando comprometer, sem êxito, o partido do governo.

Por hoje é só.

 

 

Anúncios

5 Respostas para “IMPRESSÕES

  1. Não entendi o comentário do Rupi sobre o “PT ladeira abaixo”. Tal afirmação colide com as evidências demonstradas pelos resultados das urnas Brasil afora. Aqui no Amapá, nos grandes colégios eleitorais, todos perderam, PT e PSB!…Entretanto, mantém a força eleitoral!…

  2. Chamar Camilo estadista é no minimo loucura. Senhor RupSilva, ande nas ruas e veja o TAMANHO GIGANTESCO da rejeição do governo Camilo. Sem delongas, isso acabou com a campanha da Cristina, o péssimo governo do Camilo. O dinheiro deixou de circular na cidade, empresas estão fechando e o senhor escreve um artigo dizendo que camilo se assemelha a um estadista? Menos senhor RupSilva, menos…

    • O senhor é o tipo do cego que não enxerga porque não quer; deve ter tido interesse contrariado ou pertence ao séquito da Harmonia. O governador Camilo está governando para todos, inclusive para indivíduos como o senhor que se nega a enxergar a realidade dos fatos; esse discurso de que o dinheiro não circula é mais velho que a Fortaleza de Macapá, além de mentiroso…Eu sei de onde ele vem, e por quem é patrocinado; o dinheiro não circulava no governo passado, já que ia para o bolso dos aliados do governo. É fato e não factóide que Camilo encontrou um rombo de mais de 1 bilhão de reais,aquele que inspirou a Operação Mãos Limpas;mesmo assim, pensando na sociedade, decidiu tocar obras inacabadas do governo passado, e está levando adiante as obras do seu governo; não rouba, e não deixa roubar; portanto crie coragem e conte nos seus dedos, antes que o senhor enloqueça,quantas dívidas foram deixadas (todasjá quitadas) e quantas obras o atual governo já executou ou está executando sem solução de continuidade, pagando o empresariado, gerando emprego e renda; infelizmente o senhor é um alienado de encomenda, talvez um professor ignorante, quem sabe, daqueles que quiseram prejudicar uma administração sem pensar que estavam prejudicando a juventude e a sociedade; claro que o senhor tem direito de achar que Camilo não é um estadista; o que o senhor não pode, nem eu vou permitir neste espaço, é arrotar inverdades na nossa cara, repetir discurso inventado por politico atrasado, decandente e burro, como senhor Gilvan Borges,animado pelo resultado da eleição; eleição no Amapá não serve pra avaliar governo, a população não está preparada pra isso, quem manda é a grana – veja quem se elegeu pra vereador! Para prefeito, o Roberto sumiu com 5 milhões do consignado dos servidores públicos municipais, ganhou a eleição, e o senhor diz o que? Vai ficar por isso mesmo?

      • Não faço parte da Harmonia, sou um pai de familia com 04 MESES de aluguel atrasado na Secretaria de Educação. pois alugo meu carro. Não vou rebater seus outros argumentos, o senhor está delirando, fantasiando coisas, só me explique esses quatro meses que o governo do estado ainda não repassou para a cooperativa, Sr. RupSilva. Seu filho, como secretario de estado, tem 04 meses de salário atrasado?

      • Salário do trabalhador é sagrado, ainda mais se for trabalhador da educação; se o governo te deve, está ERRADO; cobre, denuncie, mas não perca o equilíbrio, não deixe que a sua raiva tire os méritos que o governo tem em outras áreas.Só isso, abraço, fico na torcida para que o governo atualize seus salários.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s