OPINIÃO

LULA – NEM CEGO NEM MOUCO

João Silva

Não é por causa de mim nem por causa de você  que o petista Fernando Haddad empacou nas pesquisas e só agora alça voo, depois de bom tempo sem polarizar com Celso Russomanno (PRB) e José serra (PSDB) na luta pela preferência dos paulistanos.

Haddad é um bom candidato à Prefeitura de São Paulo, tudo mundo sabe, mas o povo não esqueceu a fotografia do padrinho (Lula) paparicando o Maluf, referência nacional em denuncia sem apuração e punição (acho que nesse aspecto só perde mesmo para o clã dos Sarney).

Numa pesquisa séria,  os dois ganhariam de braçada dos políticos mais denunciados do Brasil em se tratando de vestígios de criminalidade transformados em pó e varridos pra de baixo do tapete, ou seja,  não apurados na forma da lei – tratassem de crimes ou não.

E aí, pra aliviar a ansiedade da opinião pública lutando contra a corrupção endêmica, as figuras contra as quais nada pega cuidaram de urdir uma trama para cortar a cabeça do Demóstenes merecendo e dando sopa; tiraram-lhe então o mandato e mandaram ele pra casa com aquele dedo que apontou pro Sarney.

Entrevista de Lula ao NewYork Times afirmando aos americanos e ao mundo que o mensalão não existiu faz parte, e atinge o Procurador Geral da República, a imprensa, o Congresso Nacional, a Suprema Corte do País e chama 190 milhões de brasieiros de imbecís.

O passado recente de Lula não nega. O lado escuro do segundo mandato deixou  claro seu compromisso com condutas pouco republicanas; afinal, queira ou não, o mensalão aconteceu no seu governo e, considerando sua proximidade dos fatos, não dá pra garantir que Lula não tem culpa no cartório.

Quem rasgou a Constituição no auge da crise do Senado? Quem ignorou os atos secretos  e fez que não viu a velhacaria soterrar nossa esperança naquela reunião da Comissão de Ética que insisto em não esquecer, e nenhum brasileiro deveria esquecer?!!

Se todos os cidadãos deste País devem respeito à Constituição, o que dizer do seu presidente,  que não poderia cometer o sacrilégio de declarar ao povo que nem todos os cidadãos são iguais diante da lei, contrariando o que está escrito na Carta Magna que inspirou Ulisses, e a todos os famélicos de esperança e justiça?

Numa democracia de verdade existe um crime maior que um presidente pisar na Constituição que jurou honrar? Sem qualquer respeito à inteligência dos brasileiros, Lula declarou Sarney um individuo acima dos seus compatriotas e, portanto, da Constituição, da lei, da ordem jurídica; disse o suficiente para levá-lo ao impeachment em um País civilizado.

Você lembra, não é? Onze denúncias  foram arquivadas na Comissão de Ètica, providenciando-se, em seguida, uma redoma nunca vista na história do Brasil para proteger um político até o fim dos seus dias na terra – Sarney, vivendo de amenidades.

Exemplo de impunidade bem sucedida, o peemedebista gosa uma espécie de aposentadoria branca das acusações que pesam sobre ombros octagenários, várias delas solares, graves, gravíssimas. E vai ficar por isso mesmo, ao que tudo indica, já que o Brasil parece ter desistido das verdades sobre os descaminhos imputados ao ilustre aliado de Lula.

Portanto o NYT sabe que Lula está blefando, sabe que o petista deveria sentar no banco dos réus, diante do Supremo, ao lado dos mensaleiros; sabe que o fundador do PT nunca foi surdo nem cego pra não ter ouvido nem enxergado o que nos revela o voto de cada ministro no julgamento do mensalão…A existência, sim, senhor, de complexa organização criminosa, um monstro de mais de 37 tentáculos que operava na sala adjacente ao gabinete do presidente…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s