PERSONALIDADE DO AMAPÁ

JOÃO LOURENÇO DA SILVA -Professor João Lourenço, nascido em Campina Grande na Paraiba, no dia 16 de junho de 1934, 78 anos de idade e mais de meio século de Amapá – 68 anos, já que pisou em Macapá em novembro de 1944, logo após a criação do Território Federal do Amapá. É filho de Fernando Lourenço da Silva (falecido) e Maria Severina da Silva (falecida). João Lourenço é casado com Nancy Jucá Leite e com ela gerou um filho, João Lourenço da Silva Junior. Em 1950 João Lourenço cursou o primário no Grupo Escolar Barão do Rio Branco, em seguida o ginasial e o científico no Colégio Amapaense; em 1965 decidiu-se pelo magistério e fez o curso da CADES – História e Administração Escolar.

No seu curriculo se destacam vários cursos de aperfeiçoamento fora do Amapá, um deles – Preparação de Pessoal Técnico, em 1966, no Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos- INEP, ligado ao Centro de Pesquisas Educacionais Professor QUEIROZ FILHO, da Universidade Federal de São Paulo USP). João Lourenço da Silva foi Diretor do Colégio Amapaense, Diretor do Ginásio de Macapá, Diretor do Ginásio Normal Rural de Amapá(hoje Escola Vidal de Negreiros) e Diretor Administrativo do Colégio Comercial do Amapá, hoje Escola “Professor Gabriel de Almeida Café”.

Sua vida no magistério o levou à prazerosa perigrinação por diversos estabelecimentos de ensino do Amapá: lecionou no Colégio Amapaense (História Geral, História do Brasil, Geografia Geral e Geografia do Brasil); no Colégio Comercial do Amapá lecionou História Administrativa, e Econômica do Brasil, Contabilidade Bancária, História Geral, História do Brasil e Organização Social e Politica Brasileira.

Lecionou ainda no Ginásio “Marechal Castelo Branco”, Ginásio Normal Rural de Amapá (atual Vidal de Negreiros), Ginásio Feminino de Macapá (atual Escola Irmã Santina Riolli), e Ginásio “Santa Bartolomea Capitânio. João Louenço  ainda ocupou cargos em diversas secretaias de governo e foi alvo de vários reconhecimento de mérito por suas atividades em entidades filantropicas e prestadoras de serviços sociais. Foi Chefe da Asssessoria de Planejamento da Secretaria de Educação e Cultura do Amapá.

Maçon há muito tempo, João Lourenço da Silva (foto),  que é católico não praticante, mostra no paletó as comendas recebidas por sua dedicação às causas da Maçonaria, onde se destaca nas seguintes funções: Secretário de Orientação Litúrgico-Ritualística da Potência Maçônica “Grande Oriente do Brasil”-GOB, para os ritos maçônicos escocês antigo e aceito, adoniramita, moderno, alemão, brasileiro e de york; Delegado Litúrgico do Supremo Conselho do Brasil do Grau 33º para o rito escocês antigo e aceito; além disso, possue os Títulos Honoríficos de Bem Feitor da Ordem, Grande Bem Feitor, Benemérito e Grande Benemérito da ordem Maçônica Universal. Está aposentado desde 1990.

Anúncios

Uma resposta para “PERSONALIDADE DO AMAPÁ

  1. UM BOM EXEMPLO

    Enquanto na Rede Social os “papagaios” tagarelam sandices contra o governo de forma irresponsável e graciosa, demonstrando ignorancia total sobre esse e qualquer outro tema, o governo dá uma aula de transparencia. Está tudo aí explicado, as claras, sem subterfúgio, para que a sociedade – a que entende do riscado, possa fazer sua avaliação. Um motivo para os demais poderes entenderem que o Estado jamais atingirá seus objetivo se cada um não ceder um pouco. E saberem também que a proposta orçamentária apresentada pelo governo para apreciação dos deputados, está assentada em bases realistas. Por esta razão é inadmissível que a ALAP fique com mais recursos que o necessário para garantir seu funcionamente e penalize o povo privando-o de suas necessidades básicas. O bonus e o onus da situação, que por sinal atingirá todos os Estados da Federação, como mostra a analize do Subsecretário Luiz Afonso Mira Picanço, deve ser destribuído democraticamente pelos entes que partilham os recursos do Estado. Por outro lado o governo demonstra que os tempos mudaram e questões de tal magnitude deixaram de ser avaliadas entre quatro paredes e varrido para debaixo do tapete quando convinha as gestões de então. Camilo Capiberibe e equipe dão uma bela demonstração de compromisso com a boa aplicação do orçamento É asim que deve ser feito. Afinal o governo pertence a todos, é resultado do trabalho de toda sociedade.

    Rupsilva

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s