OPINIÃO

IMPRESSÕES

Rupsilva

Chegou a Turma do Blá, blá, blá!

O programa eleitoral do PTB, veiculada, tudo indica, pelo possível candidato do partido a Prefeito de Macapá, LUCAS BARRETO, no horário destinado para divulgar ideias e programa do partido, além de infligir a lei, ao fazer propaganda eleitoral antecipada, está longe daquilo que se espera de um candidato a prefeito de capital.

A aparição de Lucas, solene, burocrática e empostada, fazendo-o parecer um general alemão, em determinado momento resvala pela piada, para não dizer ridículo, principalmente quando procura colar ao atual governo todos os desmantelos [segundo Odorico Paragassu] do governo anterior. Ou rotulá-lo de incapaz de superar uma imaginária “crise” que ele e sua turma da Harmonia vivem tentando instalar desde que Camilo assumiu o governo, espalhando mentiras e criando factoides, com o reforço de “intelectuais”, batedores de lata e  paus mandado.

Mais constrangedor seu discurso quando acusa a sociedade de ter errado ao escolher Camilo para governá-la, deixando de reconhecer, como dizem os magistrados, um princípio fundamental do regime democrático, que é o direito da sociedade de escolher seus governantes, e outro, que é o de promover a alternância no poder, para lembrar a Grécia de Platão, Aristóteles, Sócrates entre outros grandes pensadores.

Pena que o petebista transforme o debate político em algo pequeno, numa disputa movida pelo ódio, pela mentira, numa questão de vida e morte. Da mesma forma deveria saber que mesmo “errando”, como insinua , o povo  está sempre certo, tem suas razões. A tese, sem dúvida, é infundada, não se sustenta em nenhuma base sociológica.

Mas consideremos nela [tese] algum cunho de verdade. Ela nos arremeterá, de pronto, reconhecer que erro maior cometeu o povo ao eleger os políticos da Harmonia que espalhou o flagelo pelos quatro cantos do Estado, privilegiando seus amigos em detrimento dos cidadãos, e quase leva o Amapá a insolvência, salvo pelo trabalho competente e obstinado [ao contrario do que diz]  do governo do PSB/PT.

Na sua tosca e breve avaliação não sobrou espaço para criticar seus amigos. No seu discurso não se reporta à crise armada pela ALAP para abocanhar recursos exorbitantes do orçamento público, muito além de suas necessidades, fato acontecido quando da votação da LDO. Trocado em miúdos, um sangradouro no tesouro do Estado, um investimento sem retorno, prejudicial ao programa de desenvolvimento do Estado implementado pelo governo.

Nenhuma referencia, por menor que fosse, sobre as greves irresponsáveis de professores e médicos que provocaram prejuízos incalculáveis a sociedade, e um colapso sem precedente em dois dos três sistemas púbicos mais importantes [saúde e educação], com o objetivo absurdo de paralisar o governo, greves lideradas por pessoas sem o mínimo senso de responsabilidade e compromisso social.

Silencio absoluto sobre o caricato “governo paralelo” do seu amigo Gilvan, criado para enganar o povo, sugestioná-lo a se posicionar contra o governo vigente. Não passou nem perto dos problemas reais que atrasam o desenvolvimento do Estado e nos propiciam cidades de baixa qualidade de vida. Nada disse sobre sonegação de impostos, funcionários que só recebem e não trabalham [milhares no governo passado] , contratos de obras e serviços superfaturados, licitações viciosas, um rombo de mais de 1 bilhão e meio de reais como se noticiou, nem pensar. Nada, absolutamente nada.

O candidato, com o devido respeito, é doido ou não mora aqui. Ou imagina que doido somos nós outros ou que acabamos de chegar nesta terra de São José e todos os santos! É impossível não lembrar o que aconteceu nos oito anos do governo do PDT e aliados, que desembocou na “OPERAÇÃO MÃOS LIMPAS” da PF e MPF, a maior já realizada no no Amapá, envolvendo exatamente seus amigos que acabaram presos.

Por tudo isso acumularam-se as dificuldades que estão aí desafiando e sendo vencidas pela jovem equipe de governo, a quem, cinicamente, atribui essas dificuldades que são de responsabilidade de seus amigos. Como lhes faltam inteligência, espírito republicano e democrático, tentam confundir o cidadão, apelam para a “baderna” como instrumento de luta.

Não exijo de certas pessoas o que não podem dar, pois não estudaram para ter um entendimento correto dos fatos. Mas espanta-me que pessoas como o Professor Seabra , Presidente do PTB, um cidadão letrado, bem formado e de fino trato, tenham permitido essa baboseira cívica do seu pretenso candidato.

Nesse embate contra as forças do mal que querem se apoderar de qualquer forma do poder e de seus recursos, professores, médicos, sindicalistas em geral, organizações da sociedade civil, teóricos de boteco, que estranhamente se voltaram contra o atual governo, não estavam lá para combater ao lado da sociedade, contra deputados mal intencionados querendo garantir polpudos salários.

Nem mesmo alguns setores do PT, que apesar das benesses de estar no poder, claramente boicotam o governo como faz Dalva Figueiredo, hoje aliada do intruso Sarney [ao lado de Lourival Freitas], “trabalhando” nos bastidores para implodir a aliança dos dois parceiros históricos: PSB/PT.

A mensagem do candidato do PTB, portanto, deixa claro que o plano está em marcha. Agora a ordem é negar a obra do governo Camilo – já maior que a do anterior em dois períodos de governo, e cobrar por realizações que eles nunca fizeram. Nos moldes do discurso de Lucas Barreto e repetido por ex-secretários que enquanto no exercício do mandato não apresentaram os resultados que hoje reclamam na maior cara de pau.

Resta-nos lamentar que tenhamos chegado ao fundo do poço. Surdo, cego e tagarela, LUCAS BARRETO faz um discurso  que não contribui para o debate nem aponta caminho para a solução dos graves problemas da cidade de Macapá, como da educação de baixo nível, saúde ruim, sem competência gerencial, mobilidade urbana, coleta de lixo e vias urbanas precárias.

O tempo passa e o candidato do PTB parece não aprender. Um bom candidato é muito maior que a vontade de ser um Executivo. Exige inteligência, um bom programa de governo, propostas exequíveis e dispor da confiança da sociedade. Para isso é preciso gastar tempo estudando, se informando e não usar o precioso tempo criando tramoias para subverter a ordem pública e passar a rasteira nos fatos.

Anúncios

Uma resposta para “OPINIÃO

  1. Não há o que se esperar de Lucas Barreto. Com todo respeito, ele não tem capacidade de concatenar simples ideia. Lucas só tem “cabeça” para coisas pequenas, taL como se servir do Estado e ganhar com a política.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s